18 de jan de 2012

Ainda sinto o medo.

Eu nunca fui covarde. Pelo contrario, sempre enfrentei minhas dores como se fosse feita de ferro, e como se minhas escolhas mal feitas não me assombrassem todas as noites. Mas acontece que... eu perdi tantas pessoas que eu amava, um atrás do outro, amigos, amores, família, tudo. Eu perdi sonhos e até mesmo a esperança de dias melhores. E isso me aterroriza tanto que agora eu tenho medo de amar as pessoas, porque acho que vou as perder pelo simples fato de ama-las.

Nenhum comentário: